Nerdizmo

Falling Skies e a vitória com gosto de derrota

Falling Skies encerrou sua história após 5 temporadas. Será que o final fez justiça à série?

falling skies review

falling skies review

Eu sempre gostei de Falling Skies. Sua proposta era relativamente parecida com outra que eu já adorava, The Walking Dead, trocando os zumbis por aliens. Logicamente o nível da produção era menor, mas havia uma criatividade ali, uma busca pela fantasia e ficção-científica que era até admirável.

Passaram-se 4 temporadas, com seus altos e baixos, embora a oscilação nunca pesasse para um lado perigoso, e chegamos nesta 5ª e última aventura com Tom Mason e cia., levando finalmente a luta até os aliens, com a promessa de encerrar tudo. Infelizmente, isso passou um pouco longe de acontecer.

Não sei o que realmente houve com a série, se a saída de Steven Spielberg da produção influenciou muito, mas esta última temporada foi um festival de erros de storytelling que daria inveja ao Rock in Rio, de tão grande. Através dos 10 episódios que dão fim a história, nós vimos muitas tramas sem sentido surgir, pequenos fillers (sim, em uma série de 10 episódios) que não agregaram nada a série, apenas nos deixaram cansados dela.

falling-skies-5-temporada

Podemos dar como exemplo todas (sem excessões) as relações românticas da temporada, que insistiam em aparecer aqui e ali, sem nunca serem devidamente exploradas, especialmente um problemático triângulo amoroso entre Hal, Ben e Maggie. Além disso, outro grande exemplo do terrível trabalho com roteiro veio nos arcos de Pope, que aqui deixou de ser o anti-herói reclamão para se tornar um pequeno vilão, além de um outro exemplo onde o grupo de Tom Mason chega à um quartel, comandado por um alien disfarçado, que ocupou mais tempo do que deveria para não dar em praticamente nada.

Com tanto tempo de tela para essas pequenas tramas, o esperado final foi o que mais sofreu. Após tanta preparação, o embate final durou apenas um episódio, tão mal desenvolvido quanto o resto da temporada, e até ele sofreu com pequenos trechos dedicados a tramas péssimas, como um último embate com Pope e diversos trechos dedicados a matar alguns personagens secundários para mostrar seu heroísmo e tentar trazer alguma emoção no público de forma mais apelativa.

Acho que o grande trunfo de qualquer história apocalíptica (e pós-apocalíptica) é mostrar as relações humanas nessa confusão. Como nos portaríamos em meio a tudo isso, como tentaríamos reconstruir o mundo ou superar o inimigo. Durante um bom tempo, Falling Skies funcionou nessa base, misturando disputas humanas com o embate alienígena, equilibrando bem os dois lados e entregando arcos intrigantes através dos anos. Após um tempo, especialmente na temporada passada, a série passou a focar mais em um aspecto de ficção, apresentando diferentes espécies alienígenas e um universo mais expandido (houve até uma viagem à lua), e até aí continuou funcionando, com mais espaço para efeitos especiais e uma grandiosidade que funcionou para a trama.

Só que nessa última temporada, tentaram misturar essas duas propostas, e nenhuma acabou encontrando espaço para se desenvolver adequadamente. Em uma ânsia de fechar todos os seus arcos (inclusive os criados apenas para a temporada), Falling Skies falhou em dar um final satisfatório para a trama que mais importava para nós, fãs: a história que acompanhamos desde o primeiro episódio, a luta pela vitória da Terra.

Falling Skies deixou um gosto amargo com esta última temporada, apagando parte de seu bom histórico. Caso você não tenha visto ou ouvido falar da série, vale a pena conferir as temporadas passadas (todas são curtas, com uma média de 10 episódios), mas é melhor deixar o desfecho dela para sua imaginação.

2estrelas

falling-skies-críticaFalling Skies – 5ª Temporada

Criadores: Robert Rodat

Roteiro: Robert RodatHeather V. RegnierBradley Thompson

Duração: 60 minutos

Elenco: Noah WyleDrew RoyWill PattonMoon BloodgoodSarah CarterConnor JessupColin Cunningham

Autor: Guilherme Souza

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Augusto Japones
Augusto Japones
8 anos atrás

Concordo plenamente com vc meu caro, realmente esperava bem mais dessa última temporada e foi a decepção do ano pra mim.

João Ferrari
João Ferrari
7 anos atrás

Conheci FS já na 4ª temporada, baixei as anteriores, assisti tudo em sequência e aguardei pela 5ª… durante o hiato, catei por noticias e elas explicavam do pq desse final “tosco”: Simplesmente a série foi cancelada durante as gravações da 5ª temporada! E o que estava previsto para durar 20-24 episódios teve que ser resumido para os míseros 10!
Se forem assistir novamente, em sequência, verão que a 5ª começa em ritmo normal até os episódios 5/6, onde começa a acelerar… foi uma maneira que encontraram para “dar um fim”…
Tem tantas séries que ficaram “no vácuo”: StarGate Universe, Revolution… terminaram a temporada com suspense e nunca mais voltaram!

vinland
vinland
7 anos atrás
Reply to  João Ferrari

Nada a ver isso que vc disse. Na epoca que acabou a 4 temporada, eles ja tinham anunciado que a serie tinha sido renovada pra uma ultima temporada. Isso foi relaxo dos roteiristas mesmo.

Daniel Mansur Mansur
Daniel Mansur Mansur
7 anos atrás

Péssimos roteiros, temporadas parecidas pois usavam a mesma formula ( resgatar alguem, matar com facilidade algum mestre supremo, lembrar do passado e explorar um drama nao convincente pra preencher os 42 min de cada episodio).
Pouquissimos embates, falta de dinamismo e na falta de personagens interessantes, da lhe Tom Manson, um professor de historia que manja tudo de guerra e possui habilidades maiores que a dos aliens, este personagem ficou foi muito chato.
O tema é fantastico mas nao souberam desenvolver, logicamente muitas pessoas viram toda a serie, pois uma vez que se começa ainda que seja uma serie ruim, da vontade de ver qual foi o desfecho.
Série lixo, não assistam, são torturantes os dialogos rasos e previsiveis. Os produtores conseguiram transformar uma guerra entre aliens e humanos na coisa mais chata do mundo.

Láysson Crisóstomo
Láysson Crisóstomo
6 anos atrás

É uma série extremamente fraca em todos os quesitos importantes: atuação, história e efeitos especiais. O que me leva a pensar se esse Spilberg é aquele consagrado no ramo da ficção. Vi erros grotescos de edição, audio, passagens de cena, parece que a série foi feita com baixo orçamento. É decepcionante e digo até vergonhosa de tão fraca, o que torna super cansativo assistí-la. Está muito abaixo da média. Amo ficção, porém essa série me decepcionou!! Já viram uma raça extra-terrestre destruir todas as forças militares de um planeta e não ser capaz de acabar com uma pouca quantidade de pessoas que restaram? Incoerências como essa e muito mais tu verás nessa série. Boa sorte.

Lucas Palma
Lucas Palma
6 anos atrás

Uma grande decepção realmente, a série foi bacana até a terceira temporada. Entretanto, foi inexplicável aquele praticamente REBOOT que foi feito entre a terceira e a quarta temporada; eu nunca tinha visto isso, uma série em andamento com um reboot! Toda a trama construída até aquele momento (girando em torno de Charleston) foi completamente abandonada para entrar outra nova.

A questão dos guetos e dos colaboracionistas era até bem interessante, não é esse o ponto, talvez seriam argumentos mais para o começo de uma trama de Terra ocupada, ou, de qualquer forma, deveriam correr em paralelo pois tudo o que os protagonistas estavam fazendo simplesmente desapareceu e as dificuldades começaram novamente. Personagens mudaram de personalidade, objetivos mudaram, inimigos mudaram… terrível, foi para ser cancelada mesmo, como de fato ocorreu; provavelmente muita gente deixou de assistir na quarta temporada.

E a temporada final, como você bem descreveu, terrível. O arco da affair do Coronel Weaver não fez o menor sentido e a trama dos clones humanos que veio e foi na mesma velocidade, clara falha de roteiro. Assim como o final, sem dar muito spoiler, por uma característica física de um dos personagens sabemos que não se passaram nem meio ano entre as duas últimas cenas, que é incompatível com a passagem de tempo que outras coisas lá demandariam.

No geral, como você também apontou, vários problemas de estória; ninguém sabia muito bem o que fazer com os Volm, assim como a explicação para a invasão da Terra no final não foi satisfatória. Não soubemos o que ocorreu com Charleston e muito menos com os humanos que foram realocados para o Brasil – o que cai também na questã do reboot com a série em andamento.