Nerdizmo

Detalhe genial em Oppenheimer dá explicação mais profunda de como os EUA o espionaram

Detalhe genial em Oppenheimer dá explicação mais profunda de como os EUA o espionaram

Um detalhe genial em Oppenheimer, o mais recente filme de Cristopher Nolan, nos dá um vislumbre de uma forma um pouco mais detalhada de como os EUA o espionaram. E pode ser que você não tenha percebido.

O governo nunca confiou totalmente em Robert ao longo do filme, um fato que ficou claro durante a audiência de segurança.

Robert foi dominado pela culpa por suas contribuições para a bomba atômica até o final de Oppenheimer, e ele começou a advogar contra a corrida armamentista nuclear da Guerra Fria.

O governo dos EUA então queria impedi-lo de influenciar a política nuclear, e eles usaram gravações de conversas que Robert teve no passado contra ele.

A linha do tempo e os eventos cronológicos do filme não são exatamente claros, e como e por que o governo tinha essas gravações não foi totalmente explorado, mas um detalhe genial indicou uma explicação.

Algumas das maiores instâncias de espionagem do governo ocorreram no escritório de Lyall Johnson, e uma diferença sutil no escritório indicava que Boris Pash havia substituído a luminária de mesa e plantado um dispositivo de escuta na nova lâmpada, como apontado no Reddit.

O detalhe genial em Oppenheimer que poucos perceberam

Gravações desse escritório foram uma das principais peças de evidência usadas contra Robert durante as audiências de segurança em Oppenheimer.

Robert ficou surpreso quando as gravações foram apresentadas como evidência, e a mudança sutil na lâmpada mostra por que ele não percebeu a espionagem do governo.

A lâmpada era apenas um exemplo da escuta do governo, implicando que eles esconderam outros dispositivos para gravar ainda mais conversas de Robert Oppenheimer.

O governo dos EUA queria sabotar a influência política de Robert, e eles usaram gravações secretas dele para ajudar a revogar sua autorização de segurança.

Ainda assim, nunca explicaram por que as tinham anos antes de Oppenheimer ter muita influência na política nuclear.

As lâmpadas trocadas indicam que as gravações foram feitas por Pash porque ele sabia que Robert estaria falando sobre suas conexões comunistas. Pash e o governo temiam muito a influência comunista e soviética nos EUA, mesmo que fossem aliados durante a guerra, e espionar Robert era uma maneira de obter mais informações.

O governo dos EUA manteve Robert sob vigilância próxima por anos na vida real, como visto no filme.

Embora Oppenheimer não tenha explicado expressamente como o governo gravou as conversas de Robert, o detalhe brilhante revelou que eles grampearam uma lâmpada e poderia ter sido inspirado em eventos reais, com relatos sugerindo que a casa e o escritório do homem foram grampeados.

A lâmpada mostrou quão abrangente era a espionagem deles e como Robert sempre esteve em uma posição precária com o governo, mesmo antes de falar sobre a bomba.

Veja mais sobre cinema!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Cinema
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments