Nerdizmo

A história de como, para mim, StarCraft Remastered é mais do que um jogo

O fator grandeza embutido neste jogo não consiste apenas na jogabilidade, sensação de fazer parte de uma comunidade e fazer amigos, ou até estreitar amizades de infância. Essa nostalgia me fez lembrar de uma história interessante

StarCraft: Remastered é uma nova versão do clássico jogo da Blizzard, com gráficos lindões em 4K, o que inclui novas texturas, melhorias no painel do jogador, e som em alta definição.

Para quem é um clássico jogador da saga, como eu, que passou nada menos do que dez anos seguidos jogando online (de 1998 até 2008), participei e fiz parte da criação de famosos clãs, competições e campeonatos, e jogava esporadicamente até hoje, é algo realmente grande.

StarCraft: Remastered, o game que todo fã clássico da série esperava

O título continua exatamente como o clássico em quesito de mecânica. Você tem as mesmas unidades, mapas, construções e recursos. Assim como os modos de campanha para as raças Terran, Protoss e Zerg. Basicamente, o objetivo é coletar minerais e gás, produzir as unidades mais poderosas e numerosas que conseguir, usar o cérebro estrategicamente e vencer o seu oponente.

Seja em missões que acompanham a interessante história do jogo que passa por diversos mundos e planetas, seja ao detonar um oponente online ou montar uma equipe para embates de até oito jogadores simultâneos.

Sem falar nos jogos customizados, que são a origem do que vemos hoje como E-Sports.

Caso você não saiba, o StarCraft pode ser considerado o pai esportes eletrônicos, que hoje em dia se popularizaram absurdamente. Isso porque o game foi pioneiro em criar o gênero que vemos hoje em famosos games como League of Legends e DOTA. Antes desses títulos, as batalhas controlando heróis e defendendo torres era no StarCraft.

Inspirado por esses tipos de jogos customizados online que se popularizaram muito, desenvolvedores de games resolveram criar jogos com a mesma temática, o que resultou nos games multiplayer online Batte Arena.

Se você quiser saber um pouco mais da história de como o StarCraft se tornou uma potência na competição dos games, recomendo ler esta matéria da ESPN.

Mas o fator grandeza embutido neste jogo não consiste apenas na jogabilidade, sensação de fazer parte de uma comunidade e fazer amigos, ou até estreitar amizades de infância. Essa nostalgia me fez lembrar de uma história interessante.

A verdade é que StarCraft serviu como um grande impulsionamento para eu tomar a decisão de me tornar um jornalista especializado em games.

Essa história começou em 1998, quando tinha 11 anos de idade, tive a sorte de ganhar dos meus pais uma cópia do título original, lançada pela TecToy. Foi paixão à primeira vista. Passei a jogar como se não houvesse amanhã. E, nesta época mesmo, li no principal jornal da cidade de onde sou, Bauru, interior de São Paulo, uma matéria completa sobre o jogo, redigida pelo Théo Azevedo (hoje editor do UOL Jogos).

Na época, eu começava a pegar o gosto pela leitura (tinha lido “O Hobbit” e estava estasiado) e pela escrita, e cheguei a enviar um e-mail para o Théo perguntando se ele me aceitaria como colaborador. Isso aos 12 anos de idade. Claro que ele me respondeu que não teria como, principalmente pela minha idade. Mas só de obter uma simples resposta, foi o suficiente para me encorajar.

Os anos passaram, cresci, aprendi, não desisti. Escrevi textos em fóruns, passei a colaborar com sites como o GameHall, depois GamesBrasil, até finalmente começar a trabalhar nos sites e revistas EGW e Nintendo World. Cerca de oito anos depois daquele e-mail, encontrei Théo Azevedo em um evento de games. Começamos a trocar umas ideias, até eu falar pra ele: “lembra de um moleque de 12 anos que te enviou um e-mail? Era eu.”

Neste dia, senti que havia concluído um grande sonho.

E hoje, continuo esse sonho não apenas tratando de games, mas com um projeto pessoal, o GEEKNESS, onde compartilho minhas paixões pela arte, ciência e cultura pop.

StarCraft, portanto, pode ser considerado um ponto chave na minha formação como pessoa e profissional. Por meio dele, fiz muitos amigos e estreitei relações com amigos de infância que já tinha, tive também o impulsionamento para me tornar quem eu sou.

Esta versão remasterizada, portanto, significa muito mais do que apenas um game. Significa o ressurgimento de um sonho. A renovação. Um misto de nostalgia e excitação, que me faz lembrar com carinho da criança que eu era e no que me tornei.

###

Imagens animadas do jogo (clique para ver)

Veja mais sobre games!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Star Wars: Galactic Cruiser, o hotel-passeio da Disney 5 Jogos em Pixel Art para Acompanhar Confira a crítica do filme Inititation Melhores Filmes de Suspense tensos e com reviravoltas Novos Jogos de Construção de Cidades para Acompanhar