Nerdizmo

A Originalidade e a Evolução de A Escolha Perfeita 2

A Escolha Perfeita 2 traz uma jornada de autoconhecimento em meio a muita música (da boa) em acapella.

A Escolha Perfeita 2 - Crítica

A Escolha Perfeita 2 - Crítica

A Escolha Perfeita surpreendeu bastante no seu lançamento, em 2012. A mistura de trama universitária, girl power e acapella (música sem instrumentos), alinhada a um roteiro atual e ácido, conquistou um público bem fiel, dando espaço para a sequência A Escolha Perfeita 2, com novas aventuras de Beca (Anna Kendrick), Fat Amy (Rebel Wilson), Chloe (Brittany Snow) e muita música. Quem gostou do primeiro filme deve sair bem satisfeito do cinema. Com a direção de Elizabeth Banks, o filme conseguiu crescer e manter sua essência, além de entregar vários fan services para a comunidade adepta das fanfics e seus ships.

A história acompanha as Barden Bellas em seu último ano de faculdade, tentando ignorar os medos da vindoura graduação enquanto cantam por aí, até que uma apresentação ruim as faz cair em desgraça, e elas partem para o mundial de acapella em busca da redenção.

No meio de inúmeros covers e disputas de acapella, Banks consegue criar uma história de autoconhecimento em Beca, a nossa protagonista, deixando completamente de lado o aspecto romântico visto no primeiro filme. Aqui a amizade entre as Bellas e os medos do futuro são o grande foco, e nesse ponto a música Flashlight, original do filme, é a síntese perfeita da trama (além de ser tão catchy quanto Cups). Também continuam em alta os momentos cômicos do filme, sempre partindo de Fat Amy ou da dupla John (John Michael Higgins) e Gail (Elizabeth Banks), cheios de piadas rápidas e ácidas, normalmente para demonstrar alguns aspectos absurdos da sociedade de forma sarcástica, o que acaba funcionando muito bem.

O roteiro só começa a falhar na apresentação de Emily (Hailee Steinfeld), a nova integrante da equipe (e que deve ganhar mais espaço na já anunciada continuação), que fica solta na história, sem muito propósito, mas, de resto, a história segue de forma bem suave.

Se no roteiro não houveram surpresas, na produção de A Escolha Perfeita 2 a história fica diferente. As performances ganharam ares mais grandiosos, com coreografias ousadas e muito superiores as do primeiro filme. E cada país representado têm suas características expressas tanto nas vestimentas quanto na apresentação. A Alemanha, com sua Das Sound Machine (a grande adversária da vez), carrega apresentações com forte influência construtivista, e suas músicas trazem elementos eletrônicos e até mesmo de rock, já que conta com músicas da banda inglesa MUSE. E com isso o filme entrega uma diversidade musical muito maior e melhor do que seu antecessor, se ampliando e nos deixando com muita vontade de ver o que pode surgir no futuro da franquia nesse quesito.

A Escolha Perfeita 2 é tudo que os fãs adoraram no primeiro filme, aqui amplificados e melhorados. É fácil se divertir ali com os vários mash-ups e apresentações acapella, e a história consegue convencer bem com Beca, e até mesmo a aleatória Emily. Para quem gosta de música e musicais, é a escolha perfeita (uma hora o trocadilho chegaria).

4estrelas

A Escolha Perfeita 2 - ReviewA Escolha Perfeita 2

Diretor: Elizabeth Banks

Roteiro: Kay Cannon

Duração: 115 minutos

Elenco: Anna KendrickRebel WilsonHailee SteinfeldBrittany SnowBen Platt

Lançamento: 13 de Agosto de 2015

Autor: Guilherme Souza

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Novos Jogos de Construção de Cidades para Acompanhar Casas na caverna estilo toca de Hobbit 5 lições que aprendemos com o Professor Polvo Star Wars: the Bad Batch ganha pôster