Jagged Alliance 3 | Review: O clássico finalmente está de volta - Nerdizmo
Nerdizmo

Jagged Alliance 3 | Review: O clássico finalmente está de volta

Jagged Alliance 3 | Review: O clássico finalmente está de volta

Jagged Alliance 3 é das franquias que estão guardadas no coração, pois joguei os primeiros games da série ainda quando criança, nos anos 90.

No meu caso, conheci a série quando Jagged Alliance 2, em 1999, veio junto com diversos outros, que eram vendidos em “pacotes” nas lojas de informática.

Na hora ganhou destaque para mim e para meus irmãos. Se tornou o favorito das jogatinas madrugada adentro em um computador que ainda nem tinha acesso à Internet.

Este, então, se tornou um dos jogos mais icônicos, e com memória afetiva.

Levando tudo isso em conta, quando notei que Jagged Alliance 3 poderia ter os elementos que tornaram seu antecessor um clássico, isto despertou meu interesse.

Mas será que Jagged Alliance 3 faz juz aos antigos games da série? Vamos analisar e contar sobre alguns dos principais pontos do game.

Momento de combate e seleção de ações. (Foto: Reprodução)

Sobre o quê é o game Jagged Alliance 3?

O game se passa em um continente fictício chamado de Grand Chien, em alusão a África. A sua função é comandar um time de mercenários para impedir que a presidência do local seja roubada via um golpe de estado. Então, ao mesmo tempo que você protege os nativos dali, luta contra um exército de rebeldes que tentam tomar o local para si.

Você, como um bom comandante, precisa contratar mercenários para acabar com este conflito. Portanto, tem que gerenciar o dinheiro, recursos e todo o seu pessoal para explorar os locais e retomar cada pedaço do continente e estabelecer a “paz”. Tudo isso, claro, com muito humor e estereotipação de filmes de ação.

O que dá para fazer em Jagged Alliance 3?

A principal atração do jogo é comandar os seus mercenários e explorar o continente, seja para coletar itens, armas, equipamentos, diamantes (que rendem dinheiro), ou para acabar com as ameaças que ali estão presentes.

Contratar e gerenciar o seu pessoal: São diversos mercenários para contratar, cada um com habilidades, armas, equipamentos diferentes. Sem falar na personalidade, um grande atrativo do game. Cada personagem tem seu estilo, seus ideais e o seu humor próprio. Alguns mais sérios, outros mais brincalhões. E isso torna o jogo bastante divertido ao longo da jornada. Mas claro, não pode esquecer de manter as contas em dia. Afinal, mercenários precisam ser pagos.

Explorar diversos tipos de mapas e campos de batalha: Cada região e mapa do jogo é explorável e tem suas peculiaridades. Os desenvolvedores da Haemimont Games fizeram questão de trabalhar minuciosamente para criar cada mapa de forma artesanal. Ou seja, com toda a atenção possível. Por isso, vale a pena explorar cada local e ver por si mesmo cada interação, pessoa, inimigo ou elementos que os mapas trazem.

Jogabilidade tática “por cima” e “por baixo”: Há dois tipos de jogabilidade, que funcionam em tempo real. Por satélite, onde você vê todo o mapa de cima, gerencia seus mercenários, atividades, treinos, estabelece postos de cura ou recruta mais soldados, e o modo “no chão”. Neste modo, você controla seus mercenários e participa de embates em turnos, no bom estilo de jogos de RPG tático – que inclusive Jagged Alliance foi um dos pioneiros e é referência no gênero, junto de Syndicate Wars.

Tela da visão por satélite, uma das camadas de jogabilidade do game. (Foto: Reprodução)

Quais os pontos fortes do jogo?

Os principais pontos de destaque que podemos citar em Jagged Alliance 3 são:

Ação tática em turnos no seu melhor: Como um dos pioneiros do gênero, este game traz uma excelente opção de jogo de RPG tático de ação. Você se equipa com os melhores (ou piores, depende do ponto de vista) mercenários, explora um mapa e passa por batalhas contra inimigos. Acontece que muita coisa pode acontecer. Sua arma pode travar, o tiro pode sair completamente errado, a ponto de atingir um aliado, entre muitas coisas. São situações realmente interessantes que fazem o game se tornar bem dinâmico.

Humor refinado e clássico: O jogo é cheio de humor. Principalmente nos diálogos de cada personagem. Há muitos tipos de mercenários, e alguns até odeiam outros, ou se sentem à vontade para trabalhar na mesma equipe.

Visual e parte técnica muito bem feita: O visual está muito bonito, tanto nos mapas, quanto nos personagens. Tudo funciona muito bem e não cheguei a ver nenhum bug horroroso a ponto de atrapalhar a jogabilidade. Os aspectos técnicos estão ótimos, incluindo parte sonora, de efeitos, trilha sonora e especialmente as dublagens dos personagens.

Muitas horas de gameplay e diversão: Jagged Alliance 3 promete muitas e muitas horas de diversão. São muitos mapas para serem explorados e muitos personagens para encontrar, contratar, explodir ou atirar.

Combate em ambiente urbano. (Foto: Reprodução)

O que pode melhorar?

Tutorial não traz muitas informações: Os primeiros mapas do game consistem em um pequeno tutorial para saber como o game funciona. Acontece que não há muitas informações ali, e você vai precisar aprender meio que sozinho como muita coisa funciona.

Modo online não é tão legal: O modo online faz com que você e seus amigos possam se confundir e causar muita confusão na hora de controlar os mercenários. Jogar em coop significa que seu amigo pode simplesmente dizimar seus homens com um erro clássico, como inserir um mercenário no final da fila junto de outros. Feito isso, na hora de atirar (especialmente se for uma metralhadora), vai destruir seus caras com fogo amigo.

Câmera não ajuda em alguns momentos: Em determinados momentos, a câmera do game não é muito amigável e não ajuda muito na visualização, o que pode causar confusão.

Não há muitos pontos negativos no game, e isso é ótimo. E mesmo com os problemas que tem, nada é impeditivo ou determinante para acabar com sua diversão.

Conclusão

Jagged Alliance 3 definitivamente traz a magia de Jagged Alliance 2 de volta. Algo que estava faltando nesses 24 anos de hiato entre um game e outro. Houve tentativas de versões do game anteriormente, mas nenhum fez juz aos clássicos. Este sim, finalmente traz de volta a diversão que a gente tinha antigamente. E fez de forma muito bem feita. Dá gosto de jogar. É engraçado, dinâmico, e um excelente RPG de turnos.

Nota: 4/5

Para saber mais sobre o jogo, acesse o site oficial.

Leia mais sobre games!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments