Nerdizmo

Animadora de Star Wars: Visions denuncia injustas condições de trabalho na indústria dos animes

Artista revela problemas na hora de gerenciar funcionários e trabalhos no estúdio

Animadora de Star Wars: Visions denuncia injustas condições de trabalho na indústria dos animes

A animadora de Star Wars: Visions, Joan Chung, comentou sobre as injustas condições de trabalho na indústria de animes.

Chung trabalhou na Science SARU de dezembro de 2019 a junho de 2021. Seus créditos de animação incluem Japan Sinks e Keep Your Hands Off Eizouken!.

No entanto, muito de seu trabalho ainda não foi anunciado oficialmente.

A artista entrou em contato com a ANN por e-mail para discutir os problemas enraizados na indústria de anime. Ela expressou que antes da pandemia de coronavírus (COVID-19), a cultura do local de trabalho na SARU era positiva.

No entanto, ela explicou como experimentou algumas “histórias de terror” com a SARU, embora tenha feito questão de notar que são menos do que com outros estúdios de produção. Chung escreveu sobre as expectativas irrealistas colocadas na equipe principal, o que fez com que os funcionários se sentissem incrivelmente sobrecarregados. Leia abaixo sua declaração sobre as condições de trabalho:

Os comentários da animadora de Star Wars: Visions sobre a indústria de animes

“Antes do COVID, a cultura do estúdio era vibrante e comunicativa. Embora eu não soubesse falar japonês, me senti imediatamente bem-vinda na empresa. Um de meus supervisores me ensinou a andar de skate na hora do almoço. Eu ficava continuamente impressionada com a capacidade de meus colegas de trabalho de trabalhar enquanto mantinham a cabeça erguida sob uma agenda alucinante. Nunca experimentei esse tipo de ética em um estúdio”.

“Eu tenho algumas histórias de terror deste estúdio, que felizmente são menos piores do que alguns dos concorrentes da SARU. Mas – e este é um grande problema para mim – um estúdio não deveria ter suas garotas de vinte e poucos anos chorando no banheiro, passando a noite toda trabalhando. Tampouco deve ter uma programação de produção tão apertada que não seja capaz de acomodar a saúde mental do referido gerente de produção. Tive de falar em nome dela para seu supervisor e CEO – e embora eles respondessem com compaixão, praticamente não poderia haver muita mudança. Uma cultura com tanta pressão de produção exigia longas horas”.

“Este ano, a Science SARU apresentou INU-OH (um longa-metragem), duas produções de uma temporada, bem como Star Wars: Visions – não acredito que tenha sido um número administrável de produções. Seus funcionários principais variam de 40 a 50 e, embora trabalhem com muitos freelancers, a carga sobre a equipe principal era mais pesada do que deveria.”

Enquanto muitos dos projetos de Chung ainda não foram anunciados, Star Wars: Visions é uma série absolutamente muito significante de fazer parte.

A indústria do entretenimento em geral tem esse problema há muitos anos. Parte disso se baseia no conceito de que muitos desses empregadores percebem que os funcionários devem se sentir sortudos por trabalharem lá. E por isso, exigem o máximo deles sem pensar muito nas consequências humanas.

Outro local que sofre com essas denúncias é a Activision Blizzard, que está sendo processada pelo estado da Califórnia por suas péssimas condições de trabalho.

Veja mais sobre Séries e TV!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Star Wars: Galactic Cruiser, o hotel-passeio da Disney 5 Jogos em Pixel Art para Acompanhar Confira a crítica do filme Inititation Melhores Filmes de Suspense tensos e com reviravoltas Novos Jogos de Construção de Cidades para Acompanhar