Nerdizmo

A história do menino que inspirou Mogli

Infelizmente o garoto não teve um destino feliz, mas sim muito triste

A história do menino que inspirou Mogli

O Livro da Selva, de Rudyard Kipling, é muito famoso hoje em dia. Mas o que você pode não saber exatamente é que existiu um menino que inspirou Mogli, o protagonista do famoso livro que até virou animação da Disney em 1967.

Muitos dizem que a principal inspiração para este livro, escrito em 1894, foi Dina Sanichar, um menino indiano que foi criado por lobos no final do século 19.

No entanto, infelizmente, ao invés de se aventurar com outros animais ou ter uma vida feliz, o garoto teve um destino trágico.

O menino que inspirou Mogli

A história dele começa em 1972, quando um grupo de caçadores encontrou Dina caminhando como um animal, usando seus pés e mãos em contato com o chão, junto de um grupo de lobos.

Quando foram vistos, o garoto e os lobos se abrigaram em um ninho, mas os caçadores estavam obstinados a pegar a criança selvagem misteriosa. Tentaram tirar ele da caverna, colocando fogo, e quando os animais saíram, os caçadores atiraram nos lobos e levaram o menino para a civilização.

Na época, Dina tinha apenas seis anos de idade.

Ele foi levado para um orfanato e foi batizado com o nome de Sanichar, que significa “Sábado”. Nos anos seguintes, ele teve problemas de adaptação e tinha um QI baixo, e apesar de todos os esforços dos trabalhadores do orfanato, ele nunca aprendeu a falar, ler ou escrever.

Dina chegou a aprender a andar ereto, apenas com as pernas, mas preferia andar por aí nu. Ele estava acostumado a caminhar de quatro e a emitir sons de animais.

De início, ele se recusava a comer alimentos cozidos, e só aceitava carne crua.

Embora Sanichar se esforçasse para se comunicar com os outros, fez amizade com outro garoto selvagem que crescia no orfanato. Os dois formaram um vínculo único, um ensinando o outro a beber de um copo.

Apesar de tudo, Sanichar adquiriu o hábito de fumar. E nos anos seguintes depois disso, desenvolveu tuberculose.

Dez anos de vida entre humanos realmente não suprimiu o lado selvagem de Dina – ele ainda ficava ansioso e nervoso com as pessoas. Sua aparência também era bastante distinta – ele tinha dentes muito grandes, uma testa baixa e tinha um metro e meio de altura.

O garoto selvagem acabou falecendo de tuberculose em 1895, com apenas 29 anos de idade. Provavelmente devido ao seu hábito de fumar.

Outros casos de crianças que cresceram com animais

Dina não era o único caso de crianças que viveram com animais. Havia numerosos outros casos na Índia. Quatro outras crianças selvagens foram descobertas na Índia na mesma época que Sanichar, com um dos casos mais conhecidos sendo o de Amala e Kamala, duas meninas que foram resgatadas de um bando de lobos em 1920. As meninas também andaram em quatro pernas, só comiam carne crua e uivavam para a lua.

Essas histórias inspiraram muitos escritores, e um deles foi Rudyard Kipling, autor do “Livro da Selva”, do personagem Mogli.

O livro foi escrito 20 anos depois da descoberta de Sanichar, mas na história de ficção, Mogli retorna a civilização por vontade própria. Bem diferente da história real de Dina, que foi forçado a conviver na civilização. Por isso, mesmo com todos os esforços, o garoto nunca conseguiu se adaptar a uma vida em sociedade.

Veja mais sobre história!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:
Novos Jogos de Construção de Cidades para Acompanhar Casas na caverna estilo toca de Hobbit 5 lições que aprendemos com o Professor Polvo Star Wars: the Bad Batch ganha pôster